O Sindicato: Histórico | Localização | Link | Fale Conosco | Página Principal

Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional do Estado do Rio de Janeiro

 

HISTÓRICO - ORGANIZAÇÃO SINDICAL

SINDICATO: agrupamento formado para defesa de interesses comuns.

SINDICALISMO: doutrina política que fortalece a luta dos trabalhadores para uma transformação social e política de cidadania.

SINDICALISTA: pessoa partidária do Sindicalismo.

SINDICALIZAÇÃO: feito legal de Sindicalizar-se.

SINDICALIZAR: reunir-se em Sindicato, passar a ser membro integrante, sócio de um sindicato.

NOSSA  HISTÓRIA

1963/1964 – Criada a Associação Profissional dos  Empregados em Entidades de Assistencial Social, Cultural, Educacional e Artística do Estado do Rio de Janeiro.

1965 – Diploma Ministério do Trabalho e Emprego “Carta Sindical de 28 Dezembro 1965” – denominado Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional do Estado do Rio de Janeiro.

DESENVOLVIMENTO HISTÓRICO

 O movimento sindical esteve na clandestinidade de 1922 a 1934, quando em 1934, primeira constituição reconhecia as organizações sindicais. Sendo mantidas durante longos anos (1934 à 1988), atrelados sob a tutela  do Estado.

Com o advento da Constituição Federal de 88, a liberdade Sindical foi alcançada.

Retornar aos anos:

1965 – lembrar do amor livre, o blek soviético e o aquecimento da guerra fria;

1975 – frase do Deputado Federal Francelino Pereira “Que país é este?”;

1985 – publicado na revista Manchete, terça feira, 12 março 1985, Tancredo Neves eleito Presidente da República, homenageado com um jantar na casa Manchete, em Brasilia;

1995 – meio a ultima década, os sem terra surgiram no cenário político brasileiro.

2005 – sonho de longos anos dos brasileiros por dias melhores! Cabendo a União, Estados e Municípios implementar políticas tributárias viáveis para que o desenvolvimento da indústria, comércio, agricultura e serviços, tomem o crescimento não só externo, mas também interno e assim a política econômica ficará estabilizada.

Temos certeza que o trabalhador brasileiro tem custeado ao longo da história, desde o período colonial até o estado democrático com seu suor, pagando tributos e juros alto, com isto diminuiu o poder aquisitivo de compra.

"SEM CONSCIÊNCIA E ÉTICA NÃO HÁ MOVIMENTO SINDICAL,

SEM INDEPENDÊNCIA E TRABALHO NÃO HÁ GARANTIA DE DIREITOS,

SEM SINDICATO NÃO HÁ CIDADANIA E JUSTIÇA SOCIAL."

Em 1922, teve início os primeiros passos dos trabalhadores para organizar-se em Associações após criar Sindicatos, para poder defenderem suas justas condições de trabalho e salários. Esses trabalhadores em alguns momentos, reuniam-se durante a noite, após vasta jornada de trabalho em suas próprias residências, por não estarem regulamentados, vivendo no processo da clandestinidade. Organizados por categorias, onde os fins expressava o enquadramento, estando nos próprios estatutos.

Em 1934 a 1937, foi autorizado pelo governo a criação de Sindicatos no Brasil e regulamentados pela autoridade competente em 1943. Os primeiros trabalhadores a se organizarem foram os sapateiros, construção civil e os trabalhadores em rede ferroviária.

Daí para frente foram criando-se Sindicatos de acordo com a conveniência do Poder Econômico e dos empregados. Com muitas dificuldades, muitos atritos e muito sangue, foi dado o primeiro passo.

O SENALBA-RJ a exemplo foi criado por sua Associação em 1963 e autorizado, regulamentado pelo Ministério do Trabalho à época, onde a investidura consagrada a esta entidade de classe, foi entregue a seu primeiro presidente a Carta Sindical. Com Base Territorial Estadual, atendendo aproximadamente os 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro, onde sua abrangência é muito eclética, mas ficando no seu inteiro teor estatutário os fins ali consagrados, asseguram por igualdade ou similitude o seu enquadramento, até porque os estatutos legitimam este ato. O espírito ético e o respeito as Leis vigentes devem ser respeitados. (Empresas: Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional), Associações e Clubes culturais, sociais e recreativos - Intituições/Entidades culturais, sociais, assistências, beneficente, creches, cursos livres, SESI, SENAI, SESC, SENAC, SEST, SENAT, SESCOOP, SENAR, fundações etc.

Observa-se, que o Estado da legalidade nos oferece auxiliar os poderes públicos da união do estado e dos municípios, em vários aspectos, sem fugir do seu objetivo, que é buscar todas as condições de vida para o trabalhador e seus dependentes.

Estando contemplado todos os integrantes dessas categorias por Acordos e Convenções Coletivas de Trabalho e durante os doze meses do ano é feito aproximadamente seis Convenções Coletivas, mais cinco Acordos em separado, cujo o número de integrantes nas categorias chegam a 28 mil empregados. É por esta razão que não abrimos mão da nossa representação legítima.

 Alcides Avelino Freire

Presidente do SENALBA RJ

 

Sempre priorizando os Associados Sindicalizados

Rua XV de Novembro 182, Centro-Niterói - Cep 24020-125 - Tel. (21) 2717 - 5603